Total de visualizações de página

domingo, 23 de janeiro de 2011


RADIOAMADORES - GloboNews 19.01.2011


sexta-feira, 21 de janeiro de 2011


Padre Landell de Moura  em selo  comemorativo pela criação do Rádio

Dia 10 de janeiro de 2011, na categoria Padrao, por Diocesana




    
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) vai emitir, no próximo dia 21, um selo e um carimbo, em comemoração aos 150 anos de nascimento do padre Roberto Landell de Moura, inventor do Rádio.
Grande parte dos livros de História traz o nome do cientista italiano Guglielmo Marconi como o inventor do Rádio com sua demonstração pública em 1874, em Bolonha (ITA), mas dois anos antes, o padre Roberto Landell de Moura, na cidade de São Paulo, já havia feito o experimento de transmissão radiofônica com sucesso. A transmissão do padre Landell pode ser ouvida a oito quilômetros do local do experimento.
Sua invenção recebeu três patentes, nos Estados Unidos e aqui no Brasil, mas mesmo assim, o nome de Marconi é que ficou imortalizado.
Há um movimento na internet (Movimento Landell de Moura – MLM) que pede o reconhecimento do padre como verdadeiro inventor do Rádio. Além do MLM, o senador Sérgio Zambiasi, solicitou o Congresso Nacional que inscreva o nome de Landell no Livro dos Heróis da Pátria.

História

Aos 17 anos, Roberto Landell saiu de Porto Alegre, sua cidade natal, e foi estudar Teologia, Física e Química em Roma. Na sua volta ao Brasil, o padre Landell compartilhou experimentos científicos com o imperador Dom Pedro II.
Padre Landell foi pároco em Campinas e em São Paulo, onde realizou, em 1872, a primeira transmissão de Rádio da história.
Landell morreu de tuberculose, no anonimato, com 67 anos de idade.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

DIRECIONAL 11 ELEMENTOS UHF

              
O Boom, deve ser de alumínio e retangular. A diâmetro usado na antena testada para este projeto, foi de 2×2 cm, e o comprimento total de 1,80 metros. A placa de fixação da antena no mastro, também é de alumínio e foi colocada no espaço inicial do Boom. O elemento Refletor, cuja posição na tabela é 0(zero), fica a cerca de 30 cm de distância do início do Boom, conforme demonstrado no desenho acima. Os elementos foram fixados através do Boom e presos com parafusos. Todos os elementos são vergalhões de alumínio de 0,5mm (varetas rígidas) com exceção do Elemento Irradiante que é feito de vareta de alumínio oca (tubo de alumínio), de 1,0 cm de diâmetro e parede de 1,0 mm.
Detalhes de fixação dos elementos no Boom
Detalhes do GAMMA MATCH
Normalmente, o que se vê, é o Gamma posicionado na frente do elemento Irradiante. Porém, neste projeto, o Gamma Match, deve ser posicionado ao lado do Elemento Irradiante (qualquer lado, exceto se você resolver empilhar esta antena, e neste caso, deve ser colocado do lado externo). Nada deve ficar entre os Elementos Refletor, Irradiante e Diretores, para não atrapalhar o ajuste da antena, bem como o seu desempenho que é excelente e esta antena é de altíssimo ganho.

A distância descrita na tabela é para ser aplicada entre elementos.
Começando com o Elemento Refletor na posição 0(zero), o Irradiante fica a 16,5 cm de distância do Elemento Refletor, o Diretor-1 dista 13,0 cm do Irradiante, e assim sucessivamente.
A Antena foi calculada para operar entre 430 e 450MHZ.
A curva de ROE (SWR) é muito baixa, ajustando e zerando no meio da faixa,
ou seja, em 440MHZ.
Boa Sorte!

Fonte: Feirinha Digital

Postado por Marco PY2JV

NÃO DEIXE DE LER , ESTA NOTÍCIA.

Ainda “Prazerosamente Morrendo” Após Todos Estes Anos
Os rumores da desinformação continuam a grassar entre muitos dos nossos colegas radioamadores quando dizem que “O radioamadorismo está morrendo”, ou então, “Os nossos números estão diminuindo” – geralmente incluindo radioamadores que espalham estas “informações” a todas as novas mídias, às quais inconscientemente reforçam a percepção junto ao grande público de que o radioamadorismo está no caminho do esquecimento.
Fato 1: Em 31 de maio de 2010 existiam 691.982 radioamadores ativos e licenciados no banco de dados do FCC. Após uma mudança na maneira com que a FCC procede a estatística dos seus registros, estabelecida em 1997, notou-se que os números atuais representam o maior número de radioamadores licenciados de todos os tempos.
Fato 2: Em 18 de junho de 2010, cerca de 17.000 novas pessoas entraram no ranque dos radioamadores licenciados neste ano. Isto significa 3.000 pessoas a mais, se comparado ao mesmo período do ano passado. (um recorde de novos radioamadores para o primeiro semestre em todos os anos) e 600 pessoas a mais se comparado a todo o ano de 2005.
Mas, todos eles são radioamadores “ativos”?
Poucas semanas atrás, num encontro de radioamadores no Texas, um colega me perguntou para onde eu achava que o nosso hobby se encaminhava. Eu disse que acreditava que o futuro parecia ser brilhante e de que estávamos próximo ao recorde absoluto de novas licenças (eu não tinha à mão nenhuma estatística que comprovasse o que estava dizendo).
“Mas, quantos deles são realmente ativos?”, ele perguntou. Esta é uma daquelas perguntas que custam uns 64 mil dólares pensei e lhe disse “esta resposta depende do que você considera ativo”.
Continuando ele disse “Bem, eu considero que um radioamador ativo é aquele que tem, pelo menos, uma procura na página do QRZ.com por ano, ou seja, quanto mais procuras ele tem, mais ativo ele é”.
Este método é válido, até certo ponto. Um alto número de procuras no QRZ.com indica provavelmente um alto nível de atividade, mais especificamente, indica um alto nível de atividades no HF, para os quais os cartões QSL são comumente trocados. Por outro lado, aquele radioamador que é muito envolvido com seu radio-clube local, participa regularmente das redes do serviço de emergência ou possivelmente ajuda na manutenção da repetidora local, talvez não entre na condição de “procurado no QRZ” e, segundo este critério, não seria um radioamador “ativo”.
Da mesma forma aqueles radioamadores cuja sua principal atividade seja longas conversas diárias no HF ou VHF com colegas de outras cidades ou países e que não precisam ou não fazem questão de cartão QSL, também não entrariam neste critério.
Também aqueles colegas que se deliciam com suas montagens, projetos e experimentações como sendo seu principal interesse e cujas atividades “no ar” se limitem apenas aos testes de seus aparatos, não concorreriam a este ranque. Estes colegas talvez estejam na ponta daquilo que chamamos de “a arte do puro radioamadorismo”, mas, não serão considerados “ativos”, baseados no número de procuras no QRZ.com.
A FCC adotava um critério para definir quem era ativo ou não e, desta maneira, renovar a licença ou não dos solicitantes. Voltando àquele tempo, o candidato tinha de provar que estava “no ar” por um período mínimo de tempo para obter sua renovação. Era um critério arbitrário com certeza, mas, de qualquer forma era um critério. Este requerimento se extinguiu no final dos anos 70, eu acredito, e desde então a definição de “ativo” tem sido objeto de uma larga discussão. O fato é que, determinar o que é “estar ativo” é muito difícil de mensurar. Mas, porque é tão importante nos debruçarmos sobre estas estatísticas para “aferir a saúde” do nosso hobby? Vamos dar uma olhada em algumas delas.
Esmigalhando os Números
Existe um consenso generalizado de que a chamada “era de ouro” do radioamadorismo foi durante os anos 50 e 60, quando o mercado americano de fabricantes de equipamentos explodiu e dominava o mercado mundial. A tecnologia dos transceptores de estado sólido ainda estava engatinhando e não fazia frente aos valvulados com seus componentes de circuitos discretos, tornando ainda um mercado viabilizado ao cidadão comum que gostava de montar e reparar seus equipamentos. Não havia ainda os processadores de alto ganho, nem mesmo os componentes microscópicos de SMD. Havia componentes reais, válvulas reais para rádios reais e radioamadores reais.
Em 1960, de acordo com as estatísticas da ARRL, havia 227.500 “radioamadores autênticos” nos USA. Vamos assumir que, uma vez que esta era a “época dourada” e que cada um daqueles 227.500 operadores estavam “ativos no ar”, facilmente atingiriam o então critério da FCC.
Agora vamos olhar os números de 2010, assumindo que estamos vivendo uma era de “decadência” do nosso hobby. Digamos que apenas 1/3 (um terço) dos atuais 700.000 licenciados sejam realmente ativos, seguindo-se o critério atual da FCC. Isto significa 700.000 vezes 0,333....e obtemos...233.100 ou mais de 5000 radioamadores ativos hoje do que havia na totalidade de 1960. Se nós tornarmos estes números um pouco mais realista e assumirmos que apenas 75% dos radioamadores de 1960 eram realmente “ativos” e que somente 50% dos atuais o são (por qualquer definição que você escolha), isto nos daria cerca de 346.000 radioamadores ativos versus 170.625 em 1960, ou aproximadamente o dobro do número de radioamadores ativos hoje em dia se comparados àqueles da chamada “era de ouro”.
Fica claro que o radioamadorismo não está morrendo. Outro fato é de que os “velhos radioamadores” (old timers) haviam previsto a iminente extinção do nosso hobby desde que ele retornou da morte, depois da segunda grande guerra. Ele nunca mais seria o mesmo que fora no passado e os operadores jamais seriam como eles eram nos “velhos tempos dourados”. O radioamadorismo seria aniquilado pelas então novas classes dos Novices e Technicians, operadores da Faixa do Cidadão, Computadores, Celulares, Internet e Redes Sociais. Cada uma destas supostas ameaças tem, de fato, contribuído para a sua vitalidade. Vou repetir mais uma vez – em benefício das mais de 100.000 pessoas que adentraram ao nosso hobby nos últimos 4 anos e nunca ouviram meu slogan favorito antes, eu repito “Radioamadorismo: Prazerosamente morrendo por mais de 60 anos”.
Uma grande idéia
Oh! E para todas aquelas crianças que não demonstram o menor interesse no radioamadorismo, este encontro no Texas, na área de Dallas, chamado de Ham-Com, promoveu um dia inteiro de curso para jovens escoteiros conquistarem sua especialidade de Radioamador. Mais de 130 escoteiros se inscreveram no programa e praticamente todos a conquistaram e tiveram uma introdução ao mundo do radioamadorismo, através não apenas de suas lições ou demonstrações, mas também através de suas admissões voluntárias à Ham-Com.
Mais ainda, o comitê da Ham-Com concordou em pagar as taxas de inscrição ao exame de ingresso para cada escoteiro que comprovar obter uma nota de 80% ou superior, por 3 vezes, nos testes on line que a FCC aplica. Quatro jovens rapazes compareceram à Ham-Com com suas documentações necessárias e o requerimento em papel e todos eles retornaram para casa, ao final do dia, como novos radioamadores licenciados. Parabéns a eles e ao comitê da Ham-Com pela brilhante idéia e incentivo. Talvez você se junte a mim e ajude para que o radioamadorismo continue “Prazerosamente Morrendo”, pelo menos, pelos próximos 60 anos.
73, W2VU

Por Rich Moseson, W2VU – Colunista da revista CQ, coluna “Zero Bias”, edição de agosto de 2010, páginas 8 a 10. Tradução livre por Paul Toledo PY3DX, em dezembro de 2010.
As opiniões aqui contidas não representam necessariamente a opinião deste site. Sendo de total responsabilidade de seus autores.


quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Filme antigo sobre radioamadorismo...


ESTE VÍDEO MOSTRA COMO O RADIOAMADOR É DESDE O PASSADO TENTA EXPLORAR SEUS CONHECIMENTOS , E O QUE MAIS ME IMPRESSIONA É UM MENINO ALI OUVINDO CW E ATENTO AO RADIO ISSO TUDO NOS MOSTRA SER RADIOAMADOR É UM DOM E DEVE SER SEMPRE PRATICADO , OLHE O VÍDEO , É UM BELO TRABALHO GRAVADO A MUITOS ANOS  NO PASSADO .

domingo, 9 de janeiro de 2011

O SURGIMENTO DO RADIOAMADOR

Radioamadorismo , muitas vezes chamado de radioamador , é tanto um passatempo e um serviço no qual os participantes, usam as comunicações  o uso de vários tipos de rádio de equipamentos de comunicação para se comunicar com outros radioamadores de serviços públicos , lazer e auto-formação.  O termo " amador "é usado para diferenciá-lo de comerciais e profissionais como os serviços de rádio . operação de rádio amador é licenciado por uma entidade governamental apropriada (por exemplo, no Brasil e a LABRE 

Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão

Comunicações do Brasil  ), coordenada pela União Internacional de Telecomunicações . Estima-se que dois milhões de pessoas em todo o mundo estão regularmente envolvidas com rádio amador.
História do rádio amador e etimologia de rádio amador
 Apesar de suas origens podem ser traçadas para o final do século 
19, o rádio amador, como 
praticado hoje, não começou até o início do século 20. A primeira lista de estações de rádio amador está contido no primeiro anual Oficial Wireless Blue Book da Wireless Association of America em 1909.  Esta primeira rádio callbook listas de estações de telégrafo sem fio no Canadá e nos Estados Unidos, incluindo o rádio amador e oitenta e nove estações. Tal como acontece com rádio, em geral , o nascimento do rádio amador foi fortemente associada com vários pesquisadores amadores e entusiastas. Ao longo de sua história, os entusiastas de rádio amadores fizeram contribuições significativas para a ciência , engenharia , indústria e serviços sociais . Uma pesquisa feita por operadores de rádio amador fundou novas indústrias, economias construído,  nações poderes,  e salva vidas em situações de emergência.
Os operadores de rádio amador usar vários modos de transmissão para se comunicar. transmissões de voz são mais comuns, com alguns, como a modulação de freqüência (FM) de áudio de alta qualidade que oferecem, e outros, como o lateral única (SSB), oferecendo uma comunicação mais confiável, muitas vezes mais longa distância, quando os sinais são marginais e largura de banda é limitada, com o sacrifício da qualidade de áudio.
PY3PZ BARBOZARadiotelegráfica usando o código Morse (também conhecido como "CW" da " onda contínua ") é uma atividade que datam os primeiros dias da rádio. É a extensão da linha sem fio terra (fio baseado) de telegrafia desenvolvido por Samuel Morse e foi o predominante em tempo real a distância método de comunicação ao longo do século 19. Embora baseado em computador (digital) modos e métodos têm em grande parte substituído CW para aplicações comerciais e militares, muitos operadores de rádio amador ainda gostam de usar o modo CW,  particularmente no ondas curtas bandas e trabalhos experimentais como lua-de comunicação terra a terra , com inerentes à sua natureza -para-ruído do sinal vantagens. Morse, usando acordadas internacionalmente codificações de mensagens como o código Q , permite a comunicação entre os amadores, que falam línguas diferentes. É também popular entre os homebrewers como apenas transmissores CW são mais simples de construir. Um similar "legado" modo popular com construtores casa é a modulação de amplitude (AM), perseguido por muitos vintage rádio amador os entusiastas e aficionados de tubo de vácuo da tecnologia.
Por muitos anos, demonstrando uma proficiência em código Morse era um requisito para obtenção de licenças de amador para a alta freqüência bandas (freqüências abaixo de 30 MHz), mas na sequência de alterações nos regulamentos internacionais em 2003, os países não são mais obrigados a exigir proficiência.  Como exemplo, os Estados Unidos da Federal Communications Commission eliminados esta exigência para todas as classes de licença em 23 fevereiro de 2007.
computadores pessoais modernos têm incentivado o uso de digital modos como radioteletipo (RTTY), que antes exigiam equipamentos mecânicos pesados.  Pernas liderou o desenvolvimento de pacotes de rádio na década de 1970, que emprega protocolos como TCP / IP desde 1980 . Especializada modos digitais como PSK31 permitir em tempo real, comunicação de baixa potência sobre as bandas de ondas curtas. Echolink usando voz sobre IP A tecnologia permitiu que os amadores se comunicar através de locais conectados à Internet e nós repetidores de rádio, enquanto IRLP permitiu a ligação de repetidores para fornecer cobertura de uma área maior. automática estabelecimento do link (ALE) permitiu contínua das redes de rádio amador para operar na alta freqüência bandas com cobertura global. Outras modalidades, como o software usando FSK441 como WSJT , são usadas para os modos de sinal fraco incluindo dispersão de meteoros e Moonbounce comunicações.
Verificação rápida de televisão de amador ganhou popularidade como hobby adaptar vídeo de electrónica de consumo baratos, como filmadoras e placas de vídeo em PCs . Por causa da largura de banda e sinaliza estabilidade necessária, a televisão de amador é normalmente encontrado no 70 cm (420 MHz-450 MHz) faixa de freqüência, porém há também o uso limitado em 33 centímetros (902 MHz-928 MHz), 23 cm (1240 MHz-1300 MHz) e superior. Estes requisitos também efetivamente limitar o alcance do sinal entre 20 e 60 milhas (30 km-100 km), no entanto, o uso de ligados repetidor sistemas podem permitir que as transmissões por centenas de quilômetros.
Estes repetidores ou estações repetidoras automatizada, são utilizados em VHF e frequências mais elevadas para aumentar o alcance do sinal. Os repetidores são normalmente localizados no topo de uma montanha , morro ou altura de construção , e permitir que os operadores se comuniquem através de centenas de milhas quadradas com um baixo poder de mão transceptor . Os repetidores podem também ser ligados entre si através da utilização de outras bandas de rádio amador , telefone fixo ou a Internet .




astronauta da NASA coronel Doug Wheelock , KF5BOC, Expedição 24 engenheiro de vôo, opera a estação de rádio NA1SS presunto no módulo de serviço Zvezda da Estação Espacial Internacional . O equipamento é um Kenwood TM-D700E transceptor.
Comunicação satélites chamado OSCAR's (Orbital Satellite Carrying Amateur Radio) pode ser acessado, alguns usando um transceptor portáteis de mão ( HT ), até mesmo, às vezes, usando o factory "rubber duck" antena.  Pernas também usar a lua , o aurora boreal , e as trilhas ionizado de meteoros como refletores de ondas de rádio.  Pernas também são capazes de fazer contato com a Estação Espacial Internacional (ISS),  como muitos astronautas e cosmonautas são licenciados como os operadores de rádio amador.
Os operadores de rádio amador usar suas estação de rádio amador para fazer contatos com os radioamadores individuais, bem como participar em mesa redonda grupos de discussão ou "pano mastigar sessões" no ar. Alguns juntam-se em regulares em-ar reuniões com outros operadores de rádio amador, chamado de "redes" (como em "redes"), que são moderadas por uma estação denominada "Controle Net".  redes podem permitir que os operadores de aprender procedimentos para emergências, ser uma mesa redonda informal ou ser tópica, abrangendo interesses específicos compartilhados por um grupo.
Em todos os países que os cidadãos da licença de uso de radioamadores, os operadores são obrigados a passar por um exame de licenciamento exibindo o conhecimento ea compreensão de conceitos-chave. Em resposta, os presuntos são concedidos privilégios de operação em segmentos maiores da freqüência de rádio do espectro usando uma grande variedade de técnicas de comunicação com poder de níveis mais elevados permitido. Esta prática está em contraste com os serviços de rádio sem licença pessoais, tais como rádio amador , Multi-Uso Radio Service , ou Family Radio Service / PMR446 que exigem equipamentos homologados-tipo restrito na faixa de freqüência e potência.
Em muitos países, as licenças de amador é uma questão de rotina administrativa civil. Os amadores são obrigados a passar por um exame para demonstrar conhecimento técnico, competência, funcionamento e tomada de consciência e regulamentar os requisitos legais, a fim de evitar a interferência com outros radioamadores e outros serviços de radiocomunicações. Muitas vezes há uma série de exames disponíveis, cada vez mais desafiador e concessão de privilégios mais em termos de disponibilidade de frequências, potência de saída, a experimentação permitida, e em alguns países, sinais de chamada distintivo. Alguns países, como o Reino Unido e Austrália começaram a exigir um curso de formação prática para além das provas escritas, a fim de obter uma licença de iniciante, chamado de Licença Foundation.
licenciamento de rádio amador nos Estados Unidos serve como um exemplo da forma como alguns países em diferentes níveis de atribuição de licenças de rádio amador baseado no conhecimento técnico. Três níveis seqüenciais de exames de licenciamento (Técnico de Classe, Classe Geral e Amador Extra Classe) são oferecidos atualmente, que permitem que os operadores que passar-lhes acesso a parcelas maiores do espectro de rádio amador e chamar os sinais mais desejável.
 Os recém-chegados
Muitas pessoas começam a sua participação no rádio amador por encontrar um clube local. Clubes freqüentemente fornecem informações sobre licenciamento, práticas operacionais locais e assessoria técnica. Os recém-chegados também frequentemente estudo independente através da compra de livros ou outros materiais, às vezes com a ajuda de um tutor, professor ou amigo. Fundada amadores que ajudam os recém-chegados são muitas vezes referidos como "Elmers" dentro da comunidade de presunto.  Além disso, muitos países têm sociedades nacionais de rádio amador que incentivam os recém-chegados e trabalhar com a regulação das comunicações autoridades do governo para o benefício de todas as rádio amadores. A mais antiga dessas sociedades é o Instituto Wireless, da Austrália , formada em 1910; outras sociedades notáveis são a Rádio Sociedade da Grã-Bretanha , a American Radio Relay League , Radioamadores do Canadá , a Nova Zelândia Associação de Transmissores de Rádio e Rádio do campeonato Sul-Africano . ( Veja Categoria: organizações de rádio amador )
 sinais de chamada
Mais informações: prefixo ITU - e experimental estações de amador
Após o licenciamento, um rádio amador nacional do governo emite um único sinal de chamada para o rádio amador. O titular de um sinal de chamada usa-lo no ar legalmente identificar o operador ou estação durante todo e qualquer rádio de comunicação . Em algumas jurisdições, o operador pode também selecionar uma "vaidade" sinal de chamada, embora estes também devem estar em conformidade com o do governo de atribuição de emissão e de estrutura utilizada para ligar os sinais de rádio amador. Alguns países, como os EUA exigem que seja paga uma taxa para obter tal um sinal de chamada vaidade, em outros, como o Reino Unido, a taxa não é necessária eo indicativo de chamada a vaidade pode ser selecionado quando a licença for pedida.
Call estrutura sinal como prescrito pela UIT, composto de três partes que dividem da seguinte forma, usando o sinal de chamada ZS1NAT como exemplo:
ZS - Mostra o país de onde o sinal de chamada se origina e também pode indicar a classe de licença. (Esta chamada está licenciado na África do Sul, e é CEPT Classe 1).
1 - Dá a subdivisão do país ou território indicado na primeira parte (esta refere-se a província do Cabo Ocidental).
NAT - A parte final é exclusiva do titular do certificado, identificando essa pessoa especificamente.
Muitos países não seguem a convenção da UIT para o numeral. No Reino Unido as chamadas G0xxx, G1xxx, G2xxx, G3xxx, G4xxx, G5xxx, G6xxx, G7xxx e G8xxx podem ser emitidos para as estações, são titulares de licença completa. As licenças adicionais são concedidos em relação a Fundação Licenciados M3xxx e M6xxx, Licenciados Intermediário 2E1xxx e 2E0xxx e Full Licença titulares M0xxx e M1xxx. Nos Estados Unidos , o número indica a área geográfica do titular residia em quando a licença foi emitida. Antes de 1978, presuntos dos EUA foram obrigados a obter um novo sinal de chamada, se saiu da sua área geográfica.
Além disso, para entidades de menor dimensão, um numeral pode ser parte da identificação do país. Por exemplo, VP2xxx está no Índias Ocidentais Britânicas (subdividida em VP2Exx Anguilla, Montserrat VP2Mxx e VP2Vxx British Virgin Islands), VP5xxx é nas Ilhas Turcas e Caicos, VP6xxx está na ilha de Pitcairn, VP8xxx está nas Malvinas, e é VP9xxx nas Bermudas.
Online callbooks indicativo ou bancos de dados pode ser pesquisado ou pesquisada para saber quem tem um indicativo específico.  As listas não exaustivas de pessoas famosas que ocupam ou ocuparam indicativos de radioamador também foram compilados e publicados.
 Privilégios
Ao contrário do espectro de RF de outros usuários, os radioamadores podem construir ou modificar equipamentos de transmissão para uso próprio dentro do espectro de amadores, sem a necessidade de o governo obter a certificação do equipamento. amadores licenciados também podem utilizar qualquer freqüência em suas bandas ( ao invés de serem alocados freqüências fixas ou canais) e pode operar médio e equipamentos de alta potência em uma ampla faixa de freqüências  , desde que cumpram determinados parâmetros técnicos, incluindo largura de banda ocupada, potência e manutenção de emissões espúrias .
Como se observa, os radioamadores têm acesso à atribuição de frequências em todo o espectro de RF, permitindo escolha de freqüência para permitir uma comunicação eficaz se toda uma cidade, região, país, continente ou no mundo inteiro, independentemente da época ou hora do dia. As bandas de ondas curtas, ou HF , pode permitir a comunicação em todo o mundo, a de VHF e UHF bandas oferta regional de comunicação excelente, e as grandes microondas bandas têm espaço suficiente, ou largura de banda , para a televisão (conhecido como FSTV ) e transmissões de alta velocidade, redes de dados .




O símbolo internacional de rádio amador, incluído no logos de muitos IARU sociedades membro. O diamante tem um diagrama de circuito com componentes comuns a todos os rádios: uma antena , indutor e do solo .
Embora admissível poder níveis são moderados pelos padrões comerciais, eles são suficientes para permitir a comunicação global. limites de potência varia de país para país e entre as classes de licença de um país. Por exemplo, o pico de energia envelope limites para as mais elevadas classes de licença disponíveis em alguns países selecionados são: 2,25 kW no Canadá , foi de 2 kW na antiga Iugoslávia , 1,5 kW, no Estados Unidos , 1 kW, Bélgica e Suíça , 750 W na Alemanha , 500 W, em Itália , a 400 W na Austrália , a Índia eo Reino Unido , e 150 W, em Omã . licença de classes inferiores geralmente têm limites mais baixos de energia, por exemplo, a licença de classe mais baixa no Reino Unido tem um limite de 10 W. operadores de rádio amador são encorajados tanto por regulamentos e tradição do uso respeitoso do espectro para usar o mínimo de energia possível para realizar a comunicação.
Quando viajar, visitar os operadores amadores devem seguir as regras do país em que deseja operar. Alguns países têm reciprocidade internacional de exploração acordos que permitam radioamadores de outros países para operar dentro de suas fronteiras com apenas um país de licença de residência. Outros países de acolhimento exigir que o presunto visitando solicitar uma autorização formal, ou mesmo um país de acolhimento emitida nova licença, com antecedência.
Muitas jurisdições questão especialidade de matrícula do veículo placas licenciadas para radioamadores, muitas vezes, a fim de facilitar a sua circulação durante uma emergência.  As taxas de aplicação e renovação são geralmente menos do que a taxa padrão para placas de especialidade.
[ editar ] planos Band e atribuição de frequências
Ver artigo principal: Atribuição de Frequências de rádio amador
A União Internacional das Telecomunicações (UIT), regula a atribuição de frequências de comunicações a nível mundial, com a participação de cada nação autoridade reguladora das comunicações. reguladores das comunicações nacionais têm alguma liberdade para restringir o acesso a essas freqüências adicionais ou para alocações de adjudicação, desde que os serviços de rádio em outros países não sofrem interferência. Em alguns países específicos tipos de emissão são restritas a certas partes do espectro de rádio, e na maioria dos outros países, International Amateur Radio Union IARU), membro das sociedades (adopção de planos de voluntários, para garantir a utilização efectiva do espectro mais.
Em alguns casos, uma agência nacional de telecomunicações também podem permitir que os presuntos de utilização de frequências fora do internacionalmente a banda de rádio amador. Em Trinidad e Tobago , os presuntos são autorizados a utilizar um repetidor que está localizado em 148,800 MHz. Este repetidor é utilizado e mantido pela Agência Nacional de Gestão de Emergência (NEMA), mas pode ser utilizado por radioamadores em situações de emergência ou durante o tempo normal para testar as suas capacidades e simulacros de emergência conduta. Este repetidor também pode ser usado por não-ham pessoal NEMA e REACT membros. Na Austrália e Nova Zelândia presunto operadores são autorizados a usar um dos canais de TV UHF. Em os EUA, em casos de emergência, os operadores de rádio amador e assegurando a comunicação das necessidades essenciais em relação à segurança imediata da vida humana e de protecção imediata da propriedade quando os sistemas normais de comunicação não estão disponíveis podem utilizar qualquer freqüência, incluindo aqueles de outros serviços de rádio, como a polícia e fogo de comunicações [ carece de fontes? ] eo Alaska freqüência de emergência em todo o estado de 5167,5 kHz.
Da mesma forma, os amadores nos Estados Unidos podem pedir para ser registrado com o auxiliar Militar Radio System (MARS). Uma vez aprovados e treinados, esses amadores também operam em freqüências governo militar dos EUA para fornecer comunicações de emergência e de apoio moral tráfego de mensagens para os serviços militares.
Sabemos que o primeiro a fazer comunicação por ondas foi o Padre Roberto Landell de Moura Nascido em Porto Alegre 21 de janeiro de 
1861 — foi um padre católico e inventor brasileiro.

É considerado um dos vários "pais" do rádio, no caso o pai brasileiro do Rádio. Foi pioneiro na transmissão da voz humana sem fio (radioemissão e telefonia por radio) antes mesmo que outros inventores, como o canadense Reginald Fessenden (dezembro de 1900). Marconi se notabilizou por transmitir sinais de telegrafia por rádio; e só transmitiu a voz humana em 1914.
Pelo seu pioneirismo, o Padre Landell é o patrono dos radioamadores do Brasil. AFundação Educacional Padre Landell de Moura foi assim batizada em sua homenagem, assim como o CPqD (Centro de Pesquisas e Desenvolvimento) criado pela Telebrás em 1976, foi batizado de "Roberto Landell de Moura".

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

GRANDE GABRIELENSE HERON DOMINGUES

Heron Lima Domingues é o nome completo de Heron Domingues, famoso locutor carioca. Ele nasceu, porém, em São Gabriel, cidade do Rio Grande do Sul, em 4 de junho de 1924. Aos  16 anos resolveu que iria ser cantor., mas houve um enorme imprevisto, que fez com que ele iniciasse sua carreira profissional na Rádio Gaúcha de Porto Alegre, em 1941. Faltou um locutor e foi Heron quem anunciou a entrada dos Estados Unidos na 2ª Guerra Mundial,  devido ao ataque de Pearl  Harbor Estava iniciada a carreira daquele que iria ser o maior locutor do Brasil, pois ele saiu da Rádio Gaúcha empregado, não como cantor, mas como locutor.Depois Heron trabalhou nas Rádios Farroupilha e Difusora de Porto Alegre.Em 1944, Heron mudou-se para o Rio , e foi trabalhar na Rádio Nacional, no programa:"Repórter Esso"onde transmitia a notícia," como se estivesse numa trincheira",diziam os comentaristas.
Quando chegou a televisão no Rio de Janeiro e Heron Domingues passou para o novo veículo, ele emagreceu 20 quilos, reformou todo o guarda-roupa. Era, portanto um homem esforçado e caprichoso por natureza.Tanto que ele mesmo contou em uma entrevista: "Trabalhei no Repórter Esso de 44 a 1962 sem um dia de folga. Levantava às 6, 45 e voltava para casa à 1,30 da madrugada. Por vezes dormia na emissora, onde coloquei uma cama para as emergências. Foi uma época conturbada e o Brasil teve no período 10 presidentes da república". E , durante a guerra, dormia na emissora com um fone no ouvido, ligado à UPI. Outro detalhe do trabalho de Heron Domingues, era telefonar à todas as embaixadas, para confirmar as notícias que lhe chegavam. Não que desconfiasse das fontes, mas exigia a confirmação. Ele era"a testemunha ocular da história", como dizia. E coube a ele dar as notícias mais importantes do mundo.Foi ele quem deu a notícia do lançamento do primeiro satélite artificial em órbita terrestre,a conquista pelo Brasil da Copa do Mundo em 1958, o lançamento da bomba atômica em Hiroshima, o suicídio de Getúlio Vargas,a renúncia do presidente americano Richard Nixon e o fim da 2ª Guerra Mundial, que foi a última notícia que Heron Domingues deu em vida.
Heron Domingues apresentou o Repórter Esso por 18 anos, no Rio de Janeiro.Quando se transferiu para a Rede Globo, consagrou-se no Jornal Nacional como comentarista internacional.
 Heron Domingues faleceu em 10 de agosto de 1974, no Rio de Janeiro,após um dia de trabalho. Teve um ataque cardíaco.. Ele era casado com a também jornalista Jacyra Domingues.
Uma equipe médica examinou as cordas vocais  de Heron Domingues por 10 anos consecutivos, pois ele fumava e bebia. Não encontraram nenhuma alteração. Ele era  um fenômeno vocal.